Anúncios Google

POEMA: Devaneio da gripe e resfriado...




O resfriado escorre quando o corpo não chora. 
A dor de garganta entope quando 
não é possível comunicar as aflições. 
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair. 
O diabetes invade quando a solidão dói. 
O corpo engorda quando a insatisfação aperta. 
A dor de cabeça deprime quando as  duvidas aumentam. 
O coração desiste quando o sentido
 da vida parece terminar. 
A alergia aparece quando o 
perfeccionismo fica intolerável. 
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas. 
O peito aperta quando o orgulho escraviza
O coração enfarta quando chega a ingratidão. 
A pressão sobe quando o medo aprisiona. 
As neuroses paralisam quando a
"criança interna" tiraniza. 
A febre esquenta quando as defesas 
detonam as fronteiras da imunidade. 
Assim sendo...
Desejo que você se cuide, porque
 sua saúde e sua vida,
dependem de suas escolhas... 

- João B. L. Moraes -