Anúncios Google

Abençoa-me Pai! Fica comigo Senhor!




Hoje, o Senhor nos ensina a pedir sua benção para nós mesmos: 
“Senhor, meu Pai, abençoa-me muito”. Parece até uma oração egoísta.
 Eu poderia pedir que o Senhor abençoasse aos outros, a minha família, 
amigos e trabalhos, mas preciso também pedir que Deus me abençoe,
 porque é tudo que mais preciso. Lembra-se da música: 
“Eu tomo posse da graça de Deus. Tomo posse da cura, Senhor. 
Tomo posse da benção de hoje”. 

A cada dia, Deus tem uma benção pra você e é preciso tomar posse. 
O maná era dado ao povo de Israel. Por isso, Deus ensinou a buscá-lo 
a cada dia, porque ele se desfazia quando o sol nascia. Eles tinham de 
colhê-lo logo cedo e consumi-lo no mesmo dia, 
porque se eles guardassem, apodreceria. 

Nós não entendemos bem a palavra “benção”. Temos o costume de
 dizer uns aos outros, “Deus lhe abençoe”, mas nem temos noção 
do que realmente isso significa. Deus é Pai, mas não é paternalista, 
não faz aquilo que podemos fazer por nós mesmos. 
A benção que o Senhor me dá está acima da minha natureza. 

Se Ele lhe dá uma benção para cada novo dia, assim como dava o 
maná para o povo de Israel, você precisa querer também esta benção. 
A graça de Deus nunca é demais! Você pode e precisa pedi-la: 
“Abençoa-me muito”. Isso não é egoísmo, mas necessidade. 
Benção é um presente, uma graça totalmente gratuita.

Monsenhor Jonas Abib